0
0
0
s2sdefault

 Os teatros brasileiros podem ser classificados e separados entre grupos e estilos distintos. Ao analisar os cinco considerados de arquitetura luso-brasileira, encontramos mais do que apenas um estilo de construção. A maioria dos edifícios, que estão espalhados por quatro das cinco regiões do Brasil, foi construída no século XIX, por uma vontade do povo de fazer crescer – ou, muitas vezes, nascer – a vida cultural dentro de cidades pequenas e aparentemente sem cena teatral. As crises estruturais, de falta de verba, ou que vieram com o advento do cinema, também traçam paralelos entre os teatros de fachada simplista, que originalmente tinham seus camarotes como divisórias sociais. O Jornal de Teatro te leva, então, a viajar pelo tempo, através de alguns dos espaços que foram cenários da história das artes cênicas no Brasil. 

Teatro Municipal de Pirenópolis
Pirenópolis, Goiás
A construção do espaço teatral de Pirenópolis não foi um processo simples e levou mais de uma década para ser concluída. O lavrador local Sebastião Pompeu de Pina tomou a iniciativa de erguer um teatro na cidade, em 1889, e com a ajuda da comunidade conseguiu, 12 anos depois, inaugurar a casa de espetáculos, em 1901. O dinheiro para a construção foi arrecadado através de leilões de alimentos, roupas, animais e outros bens que os cidadãos da cidade doaram para a obra.
Como o estilo luso-brasileiro propõe, sua estrutura é visivelmente recoberta de madeira e o palco do Municipal de Pirenópolis foi, durante muitas décadas, palco de peças teatrais, óperas e espetáculos de dança. Com o surgimento do cinema, como muitos teatros brasileiros, o local entrou em crise e passou a ser utilizado de diversas formas distantes do propósito original do espaço: serraria, fábrica de móveis, comércio, bar, garagem e, inclusive, cinema. 
O teatro passou por duas grandes reformas nas décadas de 1980 e 1990. A última modernizou o espaço interno, preservando a fachada e estrutura, uma vez que o espaço foi tombado como patrimônio cultural no mesmo ano de sua reabertura, em 1999. Hoje, o Municipal de Pirenópolis conta com uma perfeita acústica, poltronas acolchoadas e ar condicionado, instalado em 2003.