0
0
0
s2sdefault



O dramaturgo Rodrigo Nogueira aos 33 anos 
é formado em Jornalismo pela UFRJ e Teatro pela CAL. Como dramaturgo, é autor de “Play”, peça indicada aos prêmios Shell e APTR 2010.

A peça, que já cumpriu quatro temporadas (Rio, São Paulo, São José dos Campos e Campinas), viajou por 20 cidades e continua em turnê pelo País.

Em Outubro 2010, estreou na direção com “Ponto de Fuga”, de sua autoria, no teatro Gláucio Gill, no Rio de Janeiro. A peça, que teve ótimas críticas na cidade, agora cumpre agenda em festivais.

Escreveu também "Entropia" (destaque do Jornal O Globo como melhor texto de 2008 e indicado a melhor autor no Prêmio de Teatro APTR 2009) e a comédia “Ainda Bem que Foi Agora”, escrita ao lado de Júlia Spadaccini. Em 2007, escreveu "tempo. Depois", peça dirigida por Alessandra Colasanti. O espetáculo, que teve três temporadas no Rio e viaja por festivais pelo Brasil, foi considerado pela Folha de São Paulo como "uma janela aberta arejando o teatro".

Entre seus trabalhos anteriores estão a adaptação de "O Silvano", de Anton Tchekov, e a dramaturgia de "O Nome e as Coisas", ambas com direção de Jefferson Miranda.

Em televisão, trabalhou como roteirista da novela "Bela, a Feia", na TV Record. É autor também de “Bicicleta e Melancia”, para o canal Multishow. Uma série de comédia jovem de sua autoria, onde também atua e faz a direção de atores.

Antes de trabalhar como dramaturgo e ator, Rodrigo foi editor de Internacional da GloboNews onde também exercia a função de redator do programa “Pelo Mundo”.

Como ator, trabalhou em diversas montagens entre elas “Play”, direção de Ivan Sugahara, “A Falecida” direção de João Fonseca, no musical infantil “A Casa da Madrinha”, direção de Herson Capri e “tempo. Depois”, direção de Alessandra Colasanti.

Em 2010, foi mais uma vez dirigido por João Fonseca em “Comédia Russa”, texto de Pedro Brício em que atuou como ator convidado ao lado de Natália Lage na montagem da companhia “Os Fodidos Privilegiados”.

Participou como ator convidado também do espetáculo internacional “An Oak Tree”, de Tim Crouch (riocenacontemporânea 2007). Integra o braço brasileiro do coletivo alemão Gob Squad desde 2006, pelo qual viajou por mais de 15 cidades do Brasil com o espetáculo "Super Night Shot".

É integrante fundador do coletivo Pequena Orquestra, responsável pela Ocupação do Teatro Gláucio Gill (de setembro de 2008 a fevereiro de 2009) a convite de Enrique Diaz com quem fez o espetáculo "Madrigal", que esteve no Festival Internacional de Artes Cênicas na Bahia e cumpre temporada em Setembro no Rio de Janeiro.

Em cinema, atuou recentemente no longa “Essa maldita vontade de ser pássaro”, de Paula Fabiana. Também rodou “Bonitinha, mas Ordinária”, de Moacyr Góes, e as produções internacionais “Gringos do Rio”, de Jonathan Nossiter com Charlotte Rampling e “Locked Up”, de Kim Jones.

Em televisão, participou de diversos programas e novelas como "Sítio do Pica-Pau Amarelo" (TV Globo), "Paraíso Tropical" (TV Globo), "A Lei e o Crime" (TV Record). Foi apresentador do programa Casa Bonita (MultiShow/ Setembro de 2009) além de ter protagonizado doze filmes comerciais.

Atualmente, Rodrigo Nogueira assina o texto do musical Rock in Rio, em cartaz na cidade das artes.


Fonte Cennarium