0
0
0
s2sdefault

A coordenadora executiva do Programa Mais Cultura, Silvana Meireles, afirmou, dia 10 de novembro, que a população brasileira quer consumir cultura. Segundo ela, os gastos da população com esse item estão na sexta posição, acima das despesas com educação.

“Apesar de termos dados revelando que há grande parcela da população, principalmente das classes C, D, e E, que ainda é desassistida por políticas públicas na área da cultura, os gastos da família brasileira com cultura ficam na sexta posição, acima dos investimentos com educação. Ou seja, existe um anseio da sociedade civil e dessa população por consumo de cultura”, disse Silvana durante seminário para discutir a construção de espaços culturais em áreas de intervenção do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Ela ressaltou que cerca de 60% dos municípios brasileiros têm ações do Programa Mais Cultura e que a criação dos Espaços Culturais ampliará esse número. “Qualquer Estado e qualquer município brasileiro podem aderir ao programa, basta manifestar essa intenção. Existe uma vasta gama de produção cultural espalhada pelo território brasileiro. Em contraponto, há uma falta de acesso a essa produção cultural. Então, o ministério tem trabalhado com os Estados brasileiros, e, mais recentemente, com municípios, no sentido de fazer alianças para o desenvolvimento e ampliação desse projeto”, frisou.

O presidente da organização não governamental Instituto Arte no Dique, José Virgílio, se mostrou ansioso com a implementação dos Espaços Culturais em sua em sua cidade, Santos (SP). “Com a inauguração da Escola Popular de Arte e Cultura Plínio Marcos e do Espaço Cibernético Gilberto Gil, em 2010, vamos criar a possibilidade de gerar empregos modernos e capacitação profissional. Em uma área onde os jovens não têm perspectiva, é importante abrir possibilidades de profissionalização para colocá-los no mercado de trabalho. Esse programa transformará a vida daquelas pessoas”, destacou.

De acordo com a coordenadora do Programa Mais Cultura, a iniciativa atingirá 19 estados brasileiros, com cerca de 20 ações. No total, 1,2 mil projetos devem receber apoio do Ministério da Cultura, entre eles, 200 cines cultura, 410 bibliotecas modernizadas, além de pontos de leitura e pontos de cultura. Agência Brasil