0
0
0
s2sdefault
Por Murilo Dias, São Paulo
 
Quando se pensa em teatro na cidade de São Paulo, pensa-se no Tuca (Teatro da Universidade Católica), pertencente a PUC-DivulgaçãoSP (Pontíficie Universidade Católica SP), fundado no ano de 1965. Em construção durante quatro anos, os construtores e idealizadores do espaço tinham o objetivo de difundir a arte para a população de baixa renda. A estrutura do prédio seguiria a aparência dos prédios da PUC, contruídos na década de 20. A obra foi assinada por Benedito Calixto de Jesus Neto, arquiteto connhecido por obras religiosas. 
 
O nome Tuca é originado de um grupo de estudantes atores, que se reuniam como teatro universitário. Após a idealização de construir um grande palco, pela PUC, o Departamento Cultural do Diretório Central dos Estudantes contratou grandes nomes do mercado teatral e televisivo: Roberto Freire para o cargo de diretor-geral; Silnei Siqueira para diretor de atores e José Armando Ferrara para cenografia. Com o apoio financeiro da Secretaria do Estado, começava ali o "Teatro Universitário da Católica".
 
A estreia foi marcada pela apresentação da peça "Morte e Vida Severina" de João Cabral de Melo Neto, dia 11 de setembro de 1965. O texto foi escolhido pelo fato do autor ser brasileiro e a peça retratar a ideologia dos estudantes daquela época, além da possibilitar um número maior de atores no elenco. A peça contou com o apoio de cursos da PUC e foi musicada por ninguém menos que Chico Buarque, estudante de Arquitetura na USP neste período, mas assíduo frequentador dos ensaios do Tuca.
 
O Tuca teve grande importância durante a história política do Brasil. Durante o período de Ditadura Militar (1964-1985), o teatro foi palco de inúmeros protestos e manisfestações, tendo papel importante para redemocratizar o país. Se apresentaram no palco do Tuca, muitas vezes protestando contra a censura, artistas como Caetano Veloso, Chico Buarque, Vinícius de Moraes, Elis Regina, Fernanda Montenegro, entre outros.
 
Na década de 80, mais precisamente em 1984, o Tuca sofreu dois incêndios, em setembro e em dezembro, fazendo com que quase tudo fosse destruído. Dois anos depois foi reaberto, todavia, devido a falta de recursos, mesmo com o apoio de empresários, autoridades, artistas, intelectuais, além de orgãos do Governo, o teatro funcionou em condições precárias até o ano de 2002, mesmo após ter sido tombado como Patrimônio Histórico de São Paulo, em 1998.
 
Em 2003, com o apoio do Banco do Bradesco e outras instituições privadas, além do apoio e aprovação do Ministério da Cultura, a casa de espetáculos teve sua reconstrução finalizada. Atualmente, o teatro principal do Tuca, que também conta com um teatro de arena, possui 672 lugares, com profundidade do palco de 14,11m e boca de cena de 13,10m. Além disso, o teatro oferece cursos teatrais: Formação de Atores; Criação e desenho de figurinos teatrais e moda; Teatro para crianças; iniciação teatral e Teatro para facilitar a comunicação.
 
Com fácil localização, na rua Monte Alegre, 1.024 - Perdizes (SP), e com preço de ingressos acessíveis, o Tuca é uma ótima opção a se aproveitar. Mais informações: http://www.teatrotuca.com.br/ ou telefone: (11) 3670-8455.