0
0
0
s2smodern

 

A partir de 14 de Junho, a bailarina e coreógrafa Ana Vitória inicia as apresentações da instalação performática “Ferida Sábia” no Galpão das Artes do Espaço Tom Jobim, que reúne fotos, vídeos, objetos e dança. Com objetivo de apresentar afetiva e esteticamente as relações da mulher com seu corpo, a partir do fluxo menstrual, é proposta uma reflexão estética, antropológica e filosófica sobre este delicado “estado” da mulher, objeto de mutismo e preconceito, mesmo na sociedade contemporânea.

 

“É também o momento em que a mulher, todo mês pode se ver pelo avesso. Pode constatar o tamanho da sua força, da vida que corre pelo seu corpo, que escorre, que é fértil e fecunda. Pode também ser o seu maior laço com a Terra, com os ciclos da natureza, o cosmo, Renato Mangollina história, a memória de todas as demais mulheres que nos formaram e a possibilidade de através desse grito vermelho, descamado, Renato Mangollinabortado, refazer e atualizar essa história”, descreveu Ana Vitória, sobre a performance.

 

A mostra, com visitação gratuita de terça-feira a domingo, é composta por seis fotografias em grande formato impressas em metacrilato, selecionadas entre as 700 fotos de seu fluxo menstrual que a artista registrou ao longo de cinco anos; objetos escultóricos em forma de óvulos de lã recheados de memórias afetivas; uma grande instalação com cem camisolas do século 19, uma videoinstalação com imagens de cerejeiras e fios de lã que tecem e destecem as relações com o mundo, duas instalações de calçolas e anáguas antigas com bacias esmaltadas que escorrem líquido vermelho, povoam o imaginário de quem se lança a esse olhar provocativo e sensório.

 

As performances, que acontecem de sexta-feira a domingo, são realizadas pelas bailarinas Angel Vianna, grande Mestra da dança contemporânea que participa aos 84 anos de idade como convidada especial, Priscila Teixeira, Soraya Bastos, Ana Vitória e Marina Magalhães. Estas mulheres, com idades que variam de 29 a 84 anos, colocam seus corpos e suas vivências a serviço do diálogo poético em torno dos mitos e tabus femininos: provocando nossa reflexão crítica a cerca da ancestralidade, puberdade, maternidade, aborto, menopausa e ritos de passagem.

 

Para além de questões de gênero, "Ferida Sábia" busca lançar um olhar poético, reconciliador, sensório e criativo sobre a condição feminina e suas singularidades. A exposição performativa é um desdobramento da pesquisa realizada para a performance “Afinal o que há por trás da coisa corporal?”  apresentada em 2011 no Centro Cultural Correios e Parque Laje, no Rio de Janeiro  e no Museu Rodin, em Salvador. Na época a artista mergulhou nas provocações da artista plástica mineira Lygia Clark em um relato corpóreo, explicito e autobiográfico sobre nascimento e morte. 

 

O Espaço Tom Jobim – Galpão das Artes fica na rua Jardim Botânico, 1.008 – Jardim Botânico. As performances acontecem nos dias 14, 15 e 16, 21, 22 e 23 de junho, às sextas-feiras e sábados, às 19h, e aos domingos, às 18h. Fone: (21) 2274-7012. Os ingressos custam: R$ 40 e a exposição podem ser visitadas de terça-feira a domingo, das 10h às 18h.