0
0
0
s2smodern


Diretores do órgão consideram relevante o aumento no número de inscrições de projetos e creditam o avanço a uma política inclusiva


Por Felipe Sil

 Efervescência cultural. A CEF (Caixa Econômica Federal) registrou aumento de propostas recebidas, fato considerado relevante para os editais culturais. As propostas para Ocupação dos Espaços Culturais da Caixa contaram com um crescimento de 42% em relação a 2008 (2.771 trabalhos enviados). Já para Festivais de Teatro e Dança foram recepcionados 312 projetos, número 16% superior ao registrado no ano passado. O maior aumento percentual, porém, ficou por conta do edital Apoio ao Artesanato Brasileiro, que recebeu 420 projetos e superou em 92% as inscrições de 2008. Os três editais totalizaram 3.503 propostas, de todas as regiões do País. O investimento previsto é de R$ 28 milhões.
A escolha dos vencedores dos editais, que deve ocorrer até o dia 30 de novembro, costuma ser divulgada em toda a imprensa e se dá, anualmente, via edital público de ocupação. A Caixa direciona ações para o apoio a projetos e programas culturais relacionados aos segmentos de teatro, artes plásticas, fotografia, dança, música e artesanato. São priorizados eventos que circulam nos espaços da Caixa Cultural localizados em Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Há, porém, destinação também para projetos de todos os Estados do País, assim como ações culturais que ocorrem em espaços de terceiros.
Para os diretores do órgão, os números só comprovam que os patrocínios culturais da Caixa ganharam ainda mais força ao longo dos últimos anos, ao lado da histórica atuação nos segmentos sociais, e assumem mais responsabilidades na área cultural do País. Para o gerente nacional de Promoções, Cultura e Esportes, Gerson Bordignon, “o recorde de inscrições é resultado de uma política inclusiva, de afirmação dos valores do País e preservação do patrimônio estético brasileiro, representado pela criatividade de nosso povo”.

Novas áreas
e espaços
A Caixa ainda prevê a inauguração de mais três espaços culturais, além das unidades que já estão em funcionamento, nas cidades de Fortaleza, Recife e Porto Alegre. Eles ainda estão em fase de reforma e adaptação. As inaugurações estão previstas para 2010. “A Caixa acredita que, dessa maneira, contribui para a democratização do acesso ao patrocínio cultural e possibilita aos artistas dos mais distantes municípios brasileiros concorrerem ao patrocínio para a sua realização. Cabe um destaque: a maioria das atividades que acontece na Caixa Cultural é suportada por projetos pedagógicos que ela mesma coordena, contemplando as atividades de visitação, monitoria, oficinas, além de lanche e transporte para crianças, idosos e portadores de necessidades especiais”, esclarece Gerson.
Para Regina Albuquerque, gerente da Caixa Cultural no Rio, uma explicação que pode ser dada para o aumento significativo das propostas recebidas é a segmentação dos editais. “O de apoio ao artesanato brasileiro, por exemplo, é recente. Com essa segmentação, os artistas acabam sabendo dessa oportunidade pelo boca-a-boca. Isso legitima os editais, que passam a ser vistos como porta de entrada para muitos profissionais. Esse patrocínio da Caixa é transparente e cada vez mais dá suporte não só a artistas renomados, mas a artistas iniciantes”, garante.
Lançado em 2008, o edital da CEF Programa Caixa de Apoio ao Artesanato Brasileiro tem como foco o desenvolvimento de comunidades artesãs e de sua sustentabilidade, além da valorização do artesanato tradicional e da cultura brasileira, contemplando todo o processo produtivo, desde a aquisição de matéria-prima até a comercialização do produto. O programa consiste no patrocínio a comunidades artesãs por meio de um processo seletivo público, aberto anualmente a todas as regiões do País.
Os projetos para o edital (foram recebidas 420 propostas) serão analisados com base em critérios como o manejo sustentável da matéria-prima para a produção artesanal, a adequação das unidades produtivas aos princípios de economia solidária, a sustentabilidade do projeto, comércio justo, a qualidade artística e o caráter tradicional do artesanato produzido, além do impacto social positivo na comunidade em que estão inseridos. A primeira edição do programa culminou no patrocínio a 16 pontos de vários Estados brasileiros, com um investimento total de R$ 550 mil.
 
Eventos
Nacionais
Outro edital da Caixa é o Festivais de Teatro e Dança, em que a seleção dos projetos é feita com bases nos princípios de nacionalização dos recursos, com o objetivo de promover e incentivar as diversas manifestações artísticas e culturais em todo o território nacional. Foram recebidas 312 propostas. O edital atende a critérios como análise da concepção geral do projeto, expectativa de interesse do público, currículo do proponente e das companhias integrantes e adequação orçamentária, além de perspectiva de contribuição ao enriquecimento sociocultural da comunidade e o caráter de responsabilidade social.
Em 2008, a Caixa lançou a segunda edição do programa para seleção de Festivais de Teatro e Dança, referente ao ano de 2009. Foram selecionados 28 projetos de teatro e 20 de dança, dentro de um total de 272 projetos inscritos, com um investimento total de R$ 3,45 milhões. O primeiro processo seletivo para o patrocínio de projetos de festivais havia sido lançado no primeiro semestre de 2008 e teve 531 projetos inscritos de todo o Brasil.
Com um investimento de R$ 2,9 milhões, a Caixa contemplou um total de 36 projetos de festivais, sendo 21 de teatro e 15 de dança. A instituição, como empresa pública, julga que a escolha de projetos culturais para patrocínio, via processo seletivo público, visa dar transparência à gestão dos recursos disponíveis para este fim. “O mais legal de todos esses editais é que eles descentralizam a cultura em todas as regiões do País. Notamos um aumento considerável de propostas recebidas de todos os Estados do Brasil. Tudo devido à credibilidade que os editais da Caixa têm ganho dentro da classe artística. Isso é maravilhoso porque foge daquele eixo Rio-São Paulo apenas”, comemora Regina.